A pirataria é boa…

Lembram-se de vos falar da nova série de Battlestar Galactica? Pois eu sabia. Esta é mesmo a série mais vista dos últimos tempos. Pelo menos é sem dúvida a série mais vista do Sci-Fi channel. Isto a propósito do artigo do Mindjack “Piracy is Good or how Battlestar Gallactica killed the broadcast tv” onde por A + B o autor (e percebe do que diz) mostra como uma rede de P2P contribuiu grandemente para o sucesso da série em nada diminuindo o número de espectadores que a série teve nos paises onde foi exibida.

O autor refere ainda o uso qua a publicidade pode dar a este tipo de “hiperdistribuição” (termo do auto). Quando estou sentado na minha sala a ver na televisão (grande invenção os leitores de DivX de sala) um episódio desta ou de outra série que acabei de tirar da Internet, tenho que apanhar no canto direito da TV com o logotipo da estação que o emitiu (que provavelmente nem por cá há). E se essa estação tivesse negociado o espaço com uma qualquer multinacional? Uma Pizza Hut por exemplo. Lembrar-me-ia de que não era má ideia mandar vir uma pizza em vez de ter que interromper o episódio para ir tratar do jantar ou ajudar a colocar a mesa…

Pois é. A pirataria pode ser boa. E se começar a ser usada neste sentido será que não muda o conceito? Continuarão a perseguir estúpidamente os que de entre nós só esperam ter acesso aquilo que de outra forma não teriamos (sim, se estivessemos a esperar ver nas nossas tv’s a Galactica ou outras séries do genero bem podiamos esperar sentados) ou passariam as estações cá do burgo a pensar melhor e enquadrar na grelha de programação menos novelas e mais séries?

Partilhe:FacebookGoogle+TwitterLinkedInPinterestEmail
Comments { 1 }

Adeus “O Meu Computador”…

Estamos a ficar sérios? Confesso que nunca gostei. “O Meu Computador”, “As Minhas Musicas”, “Os Meus Documentos” etc… Que seca. É certo que talvez estivesse mal habituado vindo de um mundo OS/2 e sonhando com um mundo Mac mas o que querem? Nunca gostei daquilo… E parece que já não sou o único. O próximo sistema operativo da Microsoft já não vai trazer as designações My… Cresceram.

O assunto é mais desenvolvido por Todd Bishop em “Microsoft Notebook: The end of ‘my’ is nigh”

Partilhe:FacebookGoogle+TwitterLinkedInPinterestEmail
Comments { 0 }

Dia da Criança (Parte II)

Patricia no patio lá de casa... No dia da Criança.

No passado dia 01 de Junho disse que a foto da Patricia que estava a colocar no post não era a mais recente. Pois o prometido é devido e aqui ficam umas fotos que a Susana apanho nesse mesmo dia.

Nota futura: Sim filha. Tu eras assim quando tinhas um ano de 3 dias.

Patricia no patio lá de casa... No dia da Criança (2)

Partilhe:FacebookGoogle+TwitterLinkedInPinterestEmail
Comments { 4 }

Coelhinho Duracell / Energizer

O coelhinho não era da Duracell???

Mas afinal que raio de estória é esta com os coelhos? Aqui em terras lusas não há quem não conheça o coelhinho da Duracell mas o coelhinho Energizer?

Pois é, mas se procurarmos informação pelo coelhinho das pilhas chegamos depressa a conclusão de que a Energizer se preocupa bastante com a sua mascote, ao ponto de lhe dar uma biografia a sério na Internet. A visitar.

p.s. Sim. Isto é mesmo de quem não sabe o que dizer ou não tem nenhuma série para ver na TVCabo.

Partilhe:FacebookGoogle+TwitterLinkedInPinterestEmail
Comments { 0 }

browserd.com

Browserd on Vector - Na parede da sala

O João veio através d’um comentário lembrar-me de um trabalho que me deu muito gozo e, por sua vez, lembrar-me também da casa mãe deste weblog: O browserd.com. Já ouvi comentários (e merecidos diga-se) sobre a falta de actualizações no browserd.com mas tenho aqui a garantir que a coisa não fica assim. Parado. Não. Só muda um pouco. Tempos houve em que conseguia manter uma actualização diária ao browserd.com, arranjando sempre bons links sobre o que se ia fazendo na net no que respeitava a webdesign e coisas do género. Mas o que muita gente não sabe é que para isso eu usava (reparem que não disse perdia) muito tempo e muito significa neste caso, 4, 5 ou mais horas diárias a navegar pela net, a verificar compatibilidades e a anotar comentários. Pessoal, eu não vivo do browserd.com ok? E entretanto nasceu a Patricia e dessas horas diárias frente ao monitor em casa passou a sair o tempo que tenho para ela entre brincadeiras e cuidados.

O browserd.com não acabou. Vai continuar a ser, tal como desde 2001 lhe chamo, o meu digital playground. Sempre que fizer novos trabalhos será lá que os vou guardar. Sempre que tenha assunto relevante a transmitir na lingua do Sherlock, é lá que o farei. Mas não deixarei de avisar todos quantos me visitam agora por aqui…

Partilhe:FacebookGoogle+TwitterLinkedInPinterestEmail
Comments { 0 }