Battlestar Galactica Fleet

Lembram-se de eu vos ter falado da Battlestar Galactica? E de como ela veio mudar a ideia de broadcast tv? Pois bem, senhores e senhoras, ela voltou… No passado dia 15 foi transmitido “Scattered”, o 1º episódio da Season 2 (16º no total da nova saga) desta magnifica série. Pois é sabido que só lá para o Outono é que esta 2ª série chega cá para os lados da Europa e quanto a Portugal, a vergonha do costume. Ainda nem a 1ª cá está. Uma vez mais resta a esperança do mundo actual. Qual de nós não vai de quando em vez, tipo uma vez por semana, dar um pulo até aos States visitar um familiar ou um amigo? Podemos ter sempre a sorte de que esteja a dar a Galactica na TV ou até, quem sabe, que o amigo tenha gravado a coisa para ver mais tarde… São uns queridos estes nossos amigos americanos. E ainda há quem fale mal deles…

Áh maravilha. Áh faneca, coisa boa… Um dia inteiro a trabalhar em Lisboa. Tal como já hoje escrevi num e-mail quando a Susana me perguntou se era melhor porque cheirava mais a cidade: É bom porque se ouvem os carros, porque corre um arzinho que entra pelas janelas… Porque não é preciso estar nenhuma luz acesa para haver mais claridade do que em qualquer sala no meio do deserto

Como é bela assim vista do Tejo,
A cidade que inspira meu canto
Banhando-se nua sem pejo, num azul de azulejo que lhe serve de manto…

Já se cantava pelos corredores do Palacio dos Condes de Redondo

Eu não digo? Vale a pena prestar atenção a esta rapariga… Ó se vale. Um pouquito de atenção e lá se descobrem mais pérolas… Como esta. Quem escreve isto sobre a pessoa com quem vive, merece definitivamente a nossa atenção. Gi-gi, vê lá mas é se dás mais interactividade ao teu site tipo comentários ou algo assim para que as visitas começem a falar. Por mim, é já visita garantida.

Tal como tinha referido há uns dias, comprei a 1ª caixa do Verão Azul. Hoje, aproveitando as sonecas da Patricia e agora o fim da noite, deitámos abaixo 5 dos 10 episódios. Sim, a série tem já uns aninhos largos mas estou certo de que quem a revê sente o mesmo que sentia. Pelo menos nós sentimos. Quase chorámos no drama, e chorámos a valer mas de tanto rir quando a ideia era essa… Só me entristeçe saber que tem um fim. Como aquele verão…

Que mal fizeram os inocentes que foram apanhados nesta desgraça? E não me venham dizer que em todas as guerras morrem inocentes. Isto não é guerra. Na guerra há regras. Aqui não! Se se quebram as regras? Claro que sim. São os homens que fazem as guerras e os homens quebram regras. Se está correcto? Claro que não. E temos legitimidade para criticar e fazer o necessário para que não se repita. Mas há regras. Aqui não! Isto é terrorismo.