Sabotagem. Não é coisa de livros de espiões, filmes e séries de tv. A sabotagem é coisa séria, arte praticada desde sempre e, de preferência, quando bem feita, sem que ninguém dê por ela.

Sabotagem. Um tema sério

Hoje, ao passar pelo site do Jason Kottke, vejo que um dos temas do dia é precisamente a sabotagem. Se bem me lembro já há uns tempos se discutiu o assunto entre as Lagostas (vocês sabem quem são) mas foi bom relembrar o Manual de Campo para Sabotagem Simples ou, como lhe chamou o Office of Strategic Services, serviço avôzinho da CIA (Central Intelligence Agency para os mais desatentos), o Simple Sabotage Field Manual.

Prestemos então atenção a alguns dos pontos essenciais do documento, pelo menos, do meu ponto de vista:

Sobre Organizações e Conferências (página 28)

  • Ponto 1) Insista em fazer tudo através de “canais”. Nunca permita o uso de atalhos de forma a acelerar as decisões.
  • Ponto 3) Sempre que possível, encaminhe todos os assuntos para comités, para “um mais aprofundado estudo e consideração”. Tente que esses comités sejam tão grandes quanto possível – nunca menos que cinco pessoas.
  • Ponto 7) Aconselhe sempre “precaução”. Seja sempre “razoável” e aconselhe os seus colegas a serem “razoáveis” e evitem pressas que podem sempre vir a resultar em embaraços ou dificuldades mais tarde.
  • Ponto 8) Mostre preocupação com a “propriedade” de cada decisão tomada. Questione a equipa sobre o facto da acção ou decisão tomada estar ou não contemplada na jurisdição de quem a tomou ou se poderá entrar em conflito com a politicas das hierarquias superiores.

O ficheiro pdf é público, disponibilizado pela própria CIA. Se quiserem também existe em livro. Vale a pena ler. Garanto-vos que são muitas as pérolas que por lá poderão encontrar, pérolas essas que ganham um valor acrescido ao reconhecermos certas práticas indicadas como sendo sabotagem, nas nossas vivências do dia-a-dia.

Não acreditam? Podem chamar-lhe sabotagem mas…

Sobre Encarregados e Supervisores (página 29)

  • Ponto 10) Para baixar a moral, e com isso baixar a produção, seja agradável para com os trabalhadores ineficientes, dê-lhe promoções indevidas. Discrimine os trabalhadores mais eficientes e queixe-se injustamente do seu trabalho.

Diziam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*