image

Porque a fotografia também toca o banal, o dia a dia, aquilo que está tantas vezes frente a nós e que mesmo assim, não vemos. E a fotografia de Martin Parr consegue tocar como poucas outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*