E o guru da usabilidade (e nitidamente não do estilo) falou. E falou contra o Twitter.

Antes de mais há a referir que outra coisa não seria de esperar do Jakob Nielsen. Aliás, eu já tinha até comentado mais do que uma vez sobre quando viria ele deitar (mais ou menos, que ele não é parvo) o Twitter abaixo.

Jakob Nielsen e o Twitter

E eis que numa curta entrevista à BusinessWeek, Jakob Nielsen apresenta as suas razões. Grosso modo a conversa girou à volta do uso empresarial do Twitter partindo do facto de tantos CEO’s estarem presentes nesta plataforma de Social Media.

Segundo Jakob Nielsen está na hora de parar (aproveitem para dar uma olhada no site dele, o UseIt.com, que também parece ter parado pelo menos no estilo. Há muito, muito tempo…) ou pelo menos abrandar no hype do Twitter. Razões:

Se tivermos em conta que as palavras de um CEO podem ditar o rumo de uma empresa, será que os 140 caracteres do Twitter são suficientes para expressar convenientemente uma ideia? Condensar ideias e pensamentos de forma coerente leva o seu tempo. Onde arranjam os CEO’s tempo para twittar?

O Twitter é causador de falhas ou abrandamento na produtividade. Segundo Jakob Nielsen “Se se preocupa com produtividade, não verifique o seu Twitter enquanto tenta acabar o seu trabalho(…). Limite-se a ver os seus updates uma vez por dia, por exemplo na hora de almoço. Todos os Twitts vão lá estar.“.

Nielsen alarga ainda um pouco mais as suas observações que partindo do Twitter num instante abarcam a Social Media em geral. Diz ele que não acha que as empresas devam banir o acesso ao Twitter durante o horário de trabalho pois o Twitter tem a sua utilidade mesmo a nível profissional. No entanto alerta para o facto de que as empresas só teriam a ganhar se indicassem aos seus colaboradores como minimizar as “interrupções”.

Diz ainda Jakob Nielsen que o crescimento no Social Media pode tornar-se um dreno para a economia se as pessoas não perceberem como controlar e gerir o seu tempo impedindo que o “social” conduza as suas vidas.

Não foi mau. Pessoalmente esperava um ataque muito mais feroz ainda que sem imaginar quais seriam os argumentos.

Muitos dos leitores do browserd.com são também utilizadores do Twitter. Alguns são verdadeiros power users. Seria interessante conhecer a vossa opinião sobre o tema. Que acham? É tempo de abrandar? 140 caracteres são suficientes para expressar uma ideia? O CEO deve ou não aderir ao Social Media?

7 thoughts on “Jakob Nielsen e o Twitter – No mundo dos CEO’s

  1. Respondendo às perguntas:

    Sim/Não/Talvez – cada um saberá.

    Sim para o fim a que se propõe, que não é o de “Condensar ideias e pensamentos de forma coerente”.

    Sim, se lhe for útil. Mas não para “Condensar ideias e pensamentos de forma coerente” :)

    Uso o twitter como se estivesse numa sala com vários grupos de pessoas à conversa. Quando estou na sala converso e oiço, quando não estou não oiço. Se acontecer alguma coisa interessante na minha ausência saberei com certeza.
    Não “verifico o meu twitter” nem vou ler para trás, é como a àgua no rio, já passou.

  2. Boas Vitor. A tua abordagem é sem dúvida uma das mais “saudáveis” mas como decerto saberás, o factor “addiction” do Twitter faz com que grande parte dos utilizadores já o tenham como um verdadeiro sistema de instant messaging. Aliás, a ideia original (já abandonada por cá graças às operadoras telefónicas) de receber os Twitts no telemóvel é só por si reveladora do significado que o Twitter dá a Follower e o peso que atribui à imediaticidade do contacto e da resposta. A analogia do Twitter com uma sala é já clássica mas parece-me que a sala foi crescendo e já se tornou num clube, com várias salas e actividades paralelas…

  3. Tudo verdades. Reforça a ideia de que o twitter é uma “coisa” diferente para cada um de nós.

  4. Acho que não é necessário abrandar é necessário sim, ser comedido como em tudo na via. Eu nos tempos do http://en.wikipedia.org/wiki/MIRC (quem se lembra?) fiquei viciado mas é coisa que passa … outras tecnologias de comunicação surgirão e nessa altura aqui estaremos para nos lembrar delas e realizar, que as mais novas tiram partido do que se aprendeu com as mais antigas. O que interessa nestas ferramentas é o potencial que têm em tornar a consciência Global cada vez mais numa realidade.

  5. Nota adicional o Nielsen em 2003 classificou o mIRC dentro das 10 mais populares ferramentas da Internet … isto quase 10 anos depois do mIRC ter aparecido … daqui a mais 10 anos irá fazer a descoberta que existe um tal do twitter :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*