O debate do programa “Aqui e Agora” sobre “Os perigos da Internet” veio provar o serviço público que é a televisão mesmo que a privada. Revelou ao mundo de forma clara, pelo menos, mais um dos grande perigos da Internet: O Moita Flores.

As frases

  • (a Internet) … nem abro…
  • (os blogues) … são mundos de devassa, de violação, de violentação…
  • A democracia desnuda-se à sua destruição…

E não fica por ai…

A interacção

Moderador: “Quem bloga está a dizer “Vejam que bem que eu escrevo. Mandem-me os vossos comentários…”
Moita Flores: “Porque não têm a capacidade de fugir da solidão”

O próprio moderador começa então (bem, talvez o tenha demonstrado desde o inicio mas eu estava a ser simpático) a revelar o evangelista que há em si:

“Uma mulher que pediu o divorcio do marido, em vez de lhe cheirar a camisa ou de lhe ir à carteira, foi-lhe à net e descobriu uma infidelidade.”

Foi-lhe à net. Note-se o bold e só não se sublinha para não parecer um link. Foi-lhe à net é algo de memorável. E para evitar surpresas desagradáveis neste momento vou telefonar à minha mulher dizendo-lhe que não me vá à net. O diabo pode tecê-las e ela descobrir que de quando em vez eu falo com outras mulheres aqui por estes lados… Ups. Ela já sabe.

O programa

Quem não viu faça o favor de visitar a página do programa Aqui e Agora referente ao debate em questão. Serviu para alguma coisa? Para pouco. Infelizmente esse muito pouco é mau. Muito mau. Imagino todas as casas em que mães e pais cientes da razão televisiva ao ver o Moita a falar tão eloquentemente sobre os perigos deste novo mundo, gritaram da mesa da cozinha: “Carlinhos, sai do computador. Já. Desliga a porcaria da Internet”.

p.s. Caro Lourenço Medeiros, diz-me a verdade: Sabias que a tua peça ia acabar nisto? Já cá andas há uns anos para saber que era má ideia. Precisas de ajuda para educar (no bom sentido é claro) essa gente por ai?

13 thoughts on “Os perigos da Internet

  1. Tomei a liberdade de editar o comentário “da juaquina” ali em cima que se deu ao trabalho de escrever a palavra parvo com uma série infindável de letras desformatando aqui a coisa…

    Talvez na Escola E. B. 2,3/S de Paredes de Coura não lhe ensinem a escrever mas se quiserem eu vou lá e posso dar umas dicas ok?

  2. CANTARES ALENTEJANOS

    A LIBERDADE DE EXPRESSÃO ,
    E as TESES do “cabrão” ,
    Agora lá para Moura vão ,
    E assim leva esta Lição …

    Como o Uísque de Sacavém ,
    O Grão Mestre de Santarém ,
    Que grande “fala-barato” !
    Será Homem este “Chato” ?

    ALBINO FORJAZ DE SAMPAIO p.p.p.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*