Deixar de fumar voltou a ser assunto. Da campanha protagonizada pelo Diogo Infante às várias opiniões que se vão espalhando pela Internet, deixar de fumar é novamente um tema de grande valor. No dia de Natal de 2005 eu escrevi por aqui: Como deixar de fumar? Simples. Metendo o maço ao bolso e dizendo: Agora não fumo mais. Nesse dia fazia um ano que tinha decidido deixar de fumar.

Muitas vezes disse (para mim e a outros) que deixava de fumar quando quisesse. Não havia quem acreditasse. A fumar desde os 12 anos e ao ritmo de 40 cigarros por dia (estamos a falar de um dia normal, sem grande stress, sem noitadas…), parecia quase impossível. Principalmente porque eu sempre fui daqueles fumadores que gostam do fumo. A dia começava com um cigarro (ou seis quando saia de casa) e terminava com um cigarro. Um café implicava, no mínimo, dois cigarros. As noites de Verão tinham um gosto especial quando ficava no pátio a olhar para o céu e de cigarro na mão. As noites de Inverno também mas o cigarro fazia companhia frente ao monitor (de cantos já amarelados) e enchia o teclado de cinza… Mas eu mantinha a minha. Deixava de fumar quando quisesse.

Deixar de fumar. De vez!

No dia em que a Patrícia gozava o seu primeiro Natal sai de casa para beber um café. Já levava dois ou três cigarros fumados. Mais um a caminho do café, um ou dois a acompanhar e outro cigarro para o regresso. Já a chegar à porta de casa pensei que seria uma boa prenda de Natal para todos lá em casa se deixasse de fumar. Apaguei o cigarro com o pé antes de entrar e não disse mais nada. Não tinha medo de recaída nem nada do género. Achei que os meus cigarros eram uma coisa minha (note-se que não escrevo “um problema meu”) e teria que ser eu a enfrentar o que estava por vir. Três dias se passaram e ninguém notou que eu já não fumava… Ninguém. E eu tinha a casa cheia de gente.

Nesse final de ano estive de férias mas fiquei sozinho pois a Susana estava a trabalhar. Óptima oportunidade para mais uma prova de fogo. O almoço no restaurante. Nunca gostei de almoçar sozinho. Ainda hoje prefiro não almoçar a não ter companhia para almoço. Pois naqueles dias lá fui, de maço de tabaco no bolso, sentar-me à mesa do restaurante. Do frango assado ao cozido à portuguesa, sempre com direito a sobremesa. Não fumei nenhum cigarro. Estava cada vez mais confiante. Deixar de fumar. Tal como eu dizia, bastava querer.

Os dias foram passando, voltei ao trabalho e com a novidade para todos: “Deixei de fumar pessoal!”. Ninguém acreditou. O fumo andava sempre ali à volta. Eu brincava quando alguém perguntava se podia fumar: “Sim, sim. Por favor. Acende o cigarro e não fica aqui perto…”. Não fumei nenhum cigarro. Com o passar do tempo as provas sucederam-se. As noitadas com amigos em casa, as idas a bares e discotecas, as chatices do dia-a-dia… Não fumei nenhum cigarro.

É raro o dia em que não ouço alguém a dizer que quer deixar de fumar e não consegue. Se calhar não quer é a conclusão a que chego. Vejo pessoas que passam de um maço de tabaco por dia para três ou quatro cigarros. “Ah e tal, mas depois fomos sair e acabei a fumar um maço nessa noite.” Pois. “Eu no trabalho não posso fumar mas quando chega à noite vingo-me.”. Alguém me explique. Se mais de metade do tempo que estão acordados conseguem estar sem fumar…

Hoje onde trabalho, tenho vários colegas que fumam (quase todos). Não fumo nenhum cigarro. O segredo para deixar de fumar? Querer. A sério. Não consigo imaginar outro. Ainda hoje tenho os dois maços de tabaco que tinha no dia em que deixei de fumar. Um em casa e outro no trabalho. A ideia na altura foi garantir que, se quisesse fumar fumava. Se não fumasse então era porque não queria e nunca por falta de tabaco. A pior coisa que eu podia imaginar era querer fumar um cigarro e não ter.

Voltar a fumar?

Não digo que não voltarei a fumar. Ao fim e ao cabo “sempre fui daqueles fumadores que gostam do fumo”. Mas se voltar a fumar um dia sei que o farei por que quero. E depois, só tenho que deixar de fumar outra vez. Mas era uma verdadeira estupidez não era?

65 thoughts on “Deixar de fumar. Na boa.

  1. Queria deixar aqui o meu comentário do que fiz para deixar de fumar.
    Na minha vida deixei de fumar por duas vezes e sempre foi difícil conseguir abandonar o tabaco.
    Tentei com pastilhas, com choques electricos, e outras formas, mas nada consegui por essas vias.
    Comecei a sentir, que a motivação, a determinação, a força, são de facto determinentes para se deixar de fumar.
    Sempre que tentava reduzir o tabaco, fracassava.
    Tomei conhecimento que havia um tabaco chamado “natural tobacco”, flandria, virginia, que me foi sugerido por um vendedor de tabaco, dizendo-me que se tratava de um tabaco natural, e que além de bastante mais barato, fazia muito menos mal…..
    Nao tinha nada a perder…e tentei….
    Comecei a sentir-me bem melhor, tratava-se de um tabaco que me satisfazia plenamente, e a partir daqui, não mais fumei tabaco da “tabaqueira”.
    Pensava eu que adaptando o meu organismo a uma dependência menor, seria mais fácil deixar o tabaco……
    De facto, assim foi.
    Diziam-me que o tabaco da tabaqueira têm cerca de 4.000 substâncias nocivas enquanto que este tabaco que comecei a fumar, me diziam ter cerca de metade….de subatancias nocivas.

    No momento em que estou a escrever este comentário, decorreram cerca de 28 dias que deixei de fumar.
    Claro que às vezes q me apetece um cigarro, mas tenho conseguido ultrapassar bem.

    Sei o que passei das outras duas vezes para deixar de fumar, e considero que desta vez, e desta forma que exliquei, foi bem mais fácil.

    Outra coisa que me aconteceu, é que a partir do momento que optei por este tabaco, deixei de ter expecturação e tosse, ou tinha muitissimo menos.

    Deixo aqui este meu comentário, que poderá ajudar algumas pessoas a conseguir deixar de fumar.

  2. Olá a todos.Iniciei o processo…Quero voltar a ser livre e sentir-me coerente.Parabéns por este site. Ajuda sentir-mo-nos entre outros que querem e conseguem.Daqui a algum tempo estarei do vosso lado!Que delícia só de pensar.
    Felicidades para todos nós com a nossa vida e vontade de volta!

  3. Olá já uma vez tentei deixar os cigarros mas sem sucesso, ontem decidi que era agora e hoja dia 3 de Setembro são 14.26 e ainda não fumei. irei dar mais noticias

  4. Entrei por acaso aqui e como o assunto me interessava acabei por ficar a ler mais um tempinho. Deixar de fumar é fácil pelo menos pra quem quer deixar . Fumava um maço e tal por dia, até que um dia numa manhã bem gelada enquanto eu saí-a para trabalhar , acendi aquele cigarrinho ” o mesmo de todas as manhãs “.Não sei bem porquê mas decidi que naquela altura, naquela manhã seria o dia ideal para deixar de fumar. E assim deixei até lá nunca mais fumei .Diga-se de passagem que já fumava desde os meus 13 anos , já lá iam uns aninhos.

  5. boa tarde. Sou jornalista e estou interessada em falar com pessoas que, depois de várias tentativas e formas para deixar de fumar, que afirmem que será no novo ano que irão conseguir, ou seja, “Este ano é que é!”(referindo-se a 2010).
    Aguardo contactos para o cferreira@tardesdajulia.com

  6. Olá Carla. Já lhe respondi no Facebook mas digo-lho aqui novamente: Entre os comentários ao post encontrará certamente quem esteja nessa situação. Se eu puder ajudar em algo mais, é só dizer.

  7. olá a todos , sou um jovem com 34 anos que fumou durante 20 anos.
    Tentei deixar de fumar várias vezes com pensos , pastilhas , etc….. e nunca consegui.
    No dia 12 de dezembro de 2009 parei de fumar sem qualquer ajuda , como podem ver já lá vai 1 mes e alguns dias e nunca mais fumei um cigarro , não tem sido facil mas tenho conseguido (sonho com tabaco, acordo a pensar no tabaco,etc…).
    É um processo dificil mas que vale a pena sinto-me muito melhor em termos de saude , tenham força de vontade e pensem na vossa saude ou de vossos filhos.
    Não vou mentir todos os dias todos os minutos penso no tabaco , tenho vontade de fumar a toda a hora mas sei se fumar 1 é o primeiro de muitos……….tenho conseguido dizer NÂO.
    È psicologico , quem quizer parar de fumar para de certeza.
    Abraços para todos e força

  8. Boas Carlos. eu deixei uns anos antes. Fez no passado dia 25 de Dezembro 5 anos, tinha na altura 31. Nunca antes tinha tentado mas, tal como tu, sempre pensei que, ainda reconhecendo uma dependência física, deixar de fumar é uma questão psicológica. É preciso querer e isso é mesmo o mais difícil…

  9. Na verdade não é nada fácil deixar de fumar mas o que mais nos permite deixar de fumar é querer deixar de fumar.
    Embora já tenha tentado antes fazer uma cura do tabaco acabei por recair após dois anos da tentativa.Não sei qual a razão que me levou a fazê-lo mas agora que tenho 34 anos já completei 14 dias desde que deixei de fumar. E desta vez segui o conselho médico com que nunca contava ser possível enfrentar o vício sozinho.
    Espero chegar a fazer 35 anos e nesse dia estar a comemorar o facto de ter deixado para trás 20 anos de fumador pois comecei a fumar muito cedo já com 15 anos e como teen ager irresponsável que era. Agora olho para trás e começo a contar os dias de fumador que foram um hábito assumido durante todos estes anos.Acreditem que é possível deixar de fumar. O principal é mesmo o querer.

  10. Olá.
    Tem sido de facto uma guerra valente, já tentei reduzir, já tentei cigarrilhas, já tentei pastilhas, e ando nisto já faz quase dois anos. Estabeleci uma data, dia 23 de Agosto, já na proxima segunda-feira, e tem de ser, este vicio de 22 anos não pode ter mais vontade do que eu, até porque sou mais velho que o vicio :-).
    Bem hajam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*