Já não é segredo (não foi durante muito tempo aliás): O canal TVSéries, um dos canais do pacote premium TVCine&Séries, será a partir de 1 de Setembro o canal oficial das séries produzidas pela HBO, canal de origem de séries tão icónicas como The Sopranos, Treme, The Wire, Band of Brothers, Rome ou Six Feet Under, assim como de algumas das mais famosas séries do momento como Game of Thrones ou True Detective.

TVSeries Home of HBO

Esta parceria entre o TVSéries e a HBO enquadra-se na estratégia da produtora norte-americana para fortalecer a sua marca para além-fronteiras associando-se a canais de referência em cada mercado a que se apresenta, passando estes a contar com a assinatura “Home of HBO”.

Isto também significa que vamos passar a ter na televisão nacional pequenas e quase desconhecidas (por cá) pérolas como Silicon Valley, a verdadeiramente hilariante história de 6 amigos (ou nem por isso) que se juntam para lançar uma startup (preparem-se para me ouvirem falar da AVIATO), ou The Brink, uma sátira política aos EUA em tom de comédia negra.

Novas Comedias HBO no TVSeries

No TVSéries, as séries que estão para vir

Para além do que já se vê, esta parceria entre a HBO e o TVSéries traz também a promessa das séries que estão para vir, e pelas quais muitos de nós esperamos com particular interesse tais como Vynil, a série de Martin Scorsese, Mick Jagger e Terence Winter que nos irá contar as aventuras e desventuras de uma editora discográfica na Nova Iorque dos anos 70, e Westworld, a série televisiva inspirada no filme com o mesmo nome que Michael Crichton realizou em 1976, e que nos trará Anthony Hopkins num registo de ficção científica em torno das temáticas da consciência artificial e do conceito de pecado.

Novas series HBO no TVSeries

O que há para não gostar?

“Ah e tal, isso dos makers… Uma cambada de nerds e geeks (notem a distinção), de óculos na ponta do nariz com a cabeça enfiada nos computadores e nas caixas das ferramentas…”

Sim, eu ouvi isto. E já não é mau de todo pois a pessoa em questão já tinha ouvido falar de makers coisa que nem sempre acontece quando se fala desta comunidade de pessoas que se dedica à ideia do faça você mesmo.

Evento de makers ou “jolas” e bikinis?

Na aproximação do grande evento da comunidade maker em Portugal, a Lisbon Maker Faire 2015, levanta-se a questão: porque raio haveria alguém de trocar um belo dia de praia, sol, “jolas” e bikinis pela possibilidade de estar com uma série de Professores Pardal, a falar de impressoras 3D, boards Arduino e Raspberry Pi’s?

É certo que a comunidade maker nem sempre se promove da forma mais eficaz. Talvez se comunicar mais para além do seu próprio universo, talvez se mostrar mais da aplicação prática das ideias no mundo do comum dos mortais, a ideia generalizada sobre quem são os makers possa mudar.

Haverá certamente muitas formas de o fazer mas, considerando que é um dos trending topics do dia (pelo menos em determinadas comunidades – Reddit, o mundo está de olhos em ti) e, aproveitando a observação que serve de mote a este tópico, pensei em esclarecer, de forma adequada, o cavalheiro que a fez e todos os outros quantos possam ter a mesma dúvida.

Makers SexyCyborg Saia com luz

Makers SexyCyborg Saltos Altos com luz

Depois de projectos como a mini-saia com luz interior ou os sapatos de salto alto luminosos, a maker chinesa que dá pelo nome de SexyCyborg apresenta o seu mais recente projecto: Wu Ying Shoes.

Makers SexyCyborg Cybersecurity Wu Ying Shoes

Sim, sapatos outra vez. E impressoras 3D também. Mas desta vez, SexyCyborg vai mais além e dá uma lição sobre ciber-segurança, fala-nos de social engineering e de USB keystroke recorders…

makers sexy cyborg Wu Ying Shoes 1

makers sexy cyborg Wu Ying Shoes 2

O projecto detalhado da maker SexyCyborg está apresentado aqui com mais alguns detalhes aqui. Ainda assim, e sabendo que eventualmente pode haver quem não esteja interessado em ler mais, deixo desde já aqui algumas dicas dadas pela própria SexyCyborg:

Lembrem-se senhoras – se estão a pensar em tornarem-se makers, aprender a escrever código ou fazer hardware – se uma rapariga como eu consegue, quão difícil será?

… e sim, são falsas.

Agora a pergunta que se impõe: quem vai visitar a Lisbon Maker Faire 2015?

p.s. Obrigado João Neves, pela referência.

Séries. Séries. Muitas séries de TV. De preferência as melhores. Cá por casa somos todos grandes fãs de séries e, todas as noites alguém pergunta: então que série vamos ver hoje?

Sim, temos a sorte da Patrícia já gostar de ver as séries de televisão que nós vemos. Facilita. Muito.

E agora, temos também outra sorte e das grandes. Estão para chegar a Portugal mais séries, muitas e das melhores. Dizem por aí que são tantas que vai ser até “queimar” o logotipo do canal no canto do ecrã. A ver vamos. Sim, a ver certamente.

Pois é, o Notes no Facebook está de volta e acabei de ver no meu perfil que está agora mais actual, mais visual, mais sexy… Pois é, agora o Notes no Facebook parece-se mais com os blogs.

Notes no Facebook Pedro Rebelo

Mas ainda existe o Notes no Facebook?

A ultima vez que usei a funcionalidade de Notes no Facebook foi em Março de 2011. Na altura, usava o Notes no Facebook para replicar os meus posts aqui no browserd.com. Fazia um post aqui e publicava automaticamente um novo post no Facebook, com o mesmo conteúdo, através do Notes. Resultado disto? Os comentários deixaram por completo o site e mudaram-se de armas e bagagens para o Facebook. Os leitores não tinham qualquer necessidade de ir ao site pois todo o conteúdo estava ali, no mesmo sitio onde eles estavam.

Mas o browserd.com é o meu espaço, o meu personal playground, o sitio onde eu escrevo o que quero e como quero. Em ultima análise, o sitio que estará sempre aqui, sempre enquanto eu assim o desejar. Poderia dizer o mesmo do Facebook? Não.

Foi nesse mês de Março de 2011 que decidi deixar de usar o Notes no Facebook. Continuaria a publicar os links para cada novo artigo que escrevesse mas, quem o quisesse ler, completo, deveria vir ao blog.

Nem por isso os comentários voltaram ao blog. As pessoas continuaram a comentar no Facebook, desta feita, nos links que lá deixava. Sim, as visitas ao browserd.com aumentaram mas aumentaram de igual forma o numero de comentários de quem claramente não tinha lido os posts por completo, de quem claramente só lera o titulo ali no Facebook e tal bastara para deixar a sua opinião, muitas vezes, para destilar o seu veneno.

Mas há muito que não se fala do Notes no Facebook

Curiosamente, foi mais ou menos a partir dessa altura que deixou de se falar do Notes no Facebook. Notoriamente os interesses ou pelo menos a forma de navegar na Internet pareciam ter mudado. As pessoas liam cada vez menos. Interagiam. Isso sim. Interagir é a regra de ouro. Like para cima e para baixo, share a torto e a direito. Like ao quê? Share do quê? Isso agora não interessa nada. Faz ai mais um like se faz favor. Partilha lá isto que tem piada.

Os anos passaram e de repente alguém diz que estamos na Era do Conteúdo. Por esse mundo fora, quase silenciosamente, os blogs vão renascendo, página a página, post a post, blogs de moda, blogs políticos, blogs de desporto, blogs de estrelas e personalidades… Blogs, blogs, blogs por todo o lado. Diacho, até o Linkedin, aquela rede cinzenta, séria e profissional (dizem) de um momento para o outro diz “venham cá e escrevam posts, façam disto o vosso blog“.

Conteúdo, conteúdo, conteúdo… O mundo é feito de texto, seja ele palavras ou imagens. E o Facebook sabe disso. Durante anos não lhe ligou nenhuma. Para quê? Estão todos encantados, entretidos a fazer likes e shares, uns atrás dos outros, sem ler… Mas de repente acordou.

Sim, o Notes no Facebook voltou!

Venham, venham, temos Notes no Facebook outra vez, e desta feita em grande. Ponham imagens, imagens de cover, imagens no body, ponham muitas imagens que a malta gosta disso. E por falar em body, apliquem-lhe as regras do bom html, façam o vosso trabalho de SEO, apliquem H1’s e H2’s, apliquem listas e citações, esforcem-se e em breve, o vosso conteúdo do Notes no Facebook dominará os primeiros lugares nas pesquisas do Google. Não é isso que vocês querem?

Bem, falo por mim. Não, não é isso que eu quero. Quero os primeiros lugares nas pesquisas do Google sim mas, quero-os a apontar para o meu espaço, para o meu site, para o meu blog. Quem sabe quanto tempo durará o Facebook? Quem sabe quanto tempo durará qualquer uma das redes que estão agora tão em voga?

O browserd.com já cá está desde 2001. Já viu nascer e morrer muitas redes, gigantes que pareciam ter conquistado o mundo e de repente… Mas o browserd.com ainda cá está.

É por essa razão que o regresso do Notes no Facebook não me convence. Sei que mais uma vez serei eu contra o mundo mas ainda assim, prefiro continuar no meu espaço, a partilhar com todos vós aqui, no Facebook e em todas as outras redes.